Palestrantes apresentam maneiras de inovar na educação durante EducaRio

A segunda edição do EducaRio, realizada no último dia 25, na sede do NAVE Rio de Janeiro, reuniu palestrantes referências no âmbito da educação.

O evento foi promovido pela Revista Educação, pelo planetapontocom, pelo Oi Futuro e teve como tema “Os caminhos do conhecimento”, abordando os desafios da docência e da gestão no desenvolvimento da educação e dos estudantes. Temas como “O que mudou na educação do século 21”, “Intervenção sobre formação do professor de línguas estrangeiras” e“Alfabetização em 2019” foram abordados no encontro.

Tendo como público-alvo educadores, mantenedores, diretores, coordenadores e secretários deeducação, o EducaRio teve lotação esgotada.

Confira as conversas da revistapontocom com alguns palestrantes. As gravações foram realizadas pelos Monitores de Mídia do Colégio estadual José Leite Lopes, NAVE Rio. “Montaigne e a Educação” foi a primeira palestra do dia com Camila Lima. Doutoranda, Mestre e Licenciada em Filosofia pela PUC-Rio. Ela tem experiência como docente e pesquisadora na área de Filosofia (História da Filosofia Moderna, Epistemologia e História do Ceticismo). Foi professora do Colégio Pedro II.

Crédito: Victor Valente e Marcos Antônio da Costa

O curador do Museu do Amanhã, Luiz Alberto Oliveira, deu início a conversa sobre “Novos caminhos para o conhecimento”. Luiz é físico, doutor em Cosmologia, foi pesquisador do Instituto de Cosmologia, Relatividade e Astrofísica (ICRA-BR) do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF/MCTI), onde também atuou como professor de História e Filosofia da Ciência. Professor, palestrante e consultor de diversas instituições.

Crédito: Victor Valente e Marcos Antônio da Costa

Rosália Maria Duarte, graduada em psicologia, mestre e doutora em educação e professora associada da PUC-Rio palestrou sobre “Tecnologia, ensino e aprendizagem”. Ela participa ativamente de grupos de pesquisa diversos sobre Educação e Mídia. É membro da ECREA (European Communication ResearchandEducationAssociation) e membro fundador da Rede Kino – Rede Latino-americana de Cinema, Educação e Audiovisual.

Crédito: Victor Valente e Marcos Antônio da Costa

Rubens Barros, jornalista especializado na área de educação e consultor editorial. Rubens fez a abertura da segunda edição do EducaRio. Veja!

Crédito: Victor Valente e Marcos Antônio da Costa

8º Fliaraxá chega com o tema “Literatura, Leitura e Imaginação”

O mundo das letras mais uma vez desembarca no interior das Minas Gerais. A 8a edição do Fliaraxá – Festival Literário de Araxá – vem com o tema “Literatura, Leitura e Imaginação” para atrair o universal ao regional, produzindo sinergias onde a cultura preserva o patrimônio e este valoriza a cultura.

O cenário é o Tauá Grande Hotel Termas de Araxá onde, entre 19 e 23 de junho, feriado de Corpus Christi, mais de cem autores e autoras vão se reunir para celebrar o amor pelos livros e pela leitura. Como já virou tradição, a acolhedora Araxá será inundada por um mar de gente interessada nos debates, palestras, conversas, sessões de autógrafos, encontros e leituras. Embalados pela programação musical da área de Gastronomia, instalada do lado de fora do Hotel.

Toda a programação do Fliaraxá tem entrada gratuita, graças à Lei Federal de Incentivo à Cultura, por intermédio do patrocínio da CBMM, apoio cultural do Itaú e parceria do Sesc SP.

O Patrono desta edição é o nosso mais importante escritor, Machado de Assis, que no dia 21 de junho, sexta-feira, o Brasil comemora o aniversário de 180 anos. Ele foi um dos fundadores e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. Uma homenagem será realizada com a presença do atual presidente da entidade, o escritor Marco Lucchesi, acompanhado de outros acadêmicos. A Patrona Local será a escritora Maria Santos Teixeira (in memorian). Com a presença de dois convidados especiais: Zuenir Ventura e Conceição Evaristo.

Dando sequência à vocação lusófona do Festival, o autor homenageado é o português Valter Hugo Mãe, que lança três livros novos. A novidade é que toda parte visual do evento será composta por ilustrações de Valter, artista plástico, feitas com exclusividade. O angolano José Eduardo Agualusa é convidado especial do Fliaraxá.

A curadoria é composta pelo criador do Festival, o gestor cultural Afonso Borges, pela historiadora e professora Heloisa Starling, o cientista político Sergio Abranches, a filósofa Marcia Tiburi e o educador Leo Cunha. Os curadores locais são os escritores Luiz Humberto França, Rafael Nolli e Rodrigo Feres.

Serviço: VIII Fliaraxá- Festival Literário de Araxá
De 19 a 23 de junho de 2019
Local: Tauá Grande Hotel Termas de Araxá
Rua Águas do Araxá, s/n – Barreiro, Araxá – MG

Mais informações: www.fliaraxa.com.brinfo@fliaraxa.com.br

Redes Socias:
facebook.com/fliaraxa
Instagram – @fliaraxa
Twitter – @fliaraxa


Educação com e através de causa

Você sabe o que é Educação com e através de causa? Trata-se da interdisciplinaridade, tema bastante atual no ambiente escolar. Podemos defini-la como um processo de integração recíproca entre várias disciplinas e campos de conhecimento. Constitui uma associação de disciplinas, por conta de um projeto ou de um objeto que lhes sejam comuns.

“Não acreditamos na Educação em “caixinhas” separadas por disciplina, mas em uma Educação interdisciplinar – explica Silva Gontijo, presidente da OSCIP Planetapontocom – todos os componentes curriculares fazem parte de um conhecimento, não são distintos”.

E é nesse sentido que os projetos do Planetapontocom funcionam. O NAVE, a Turma do Planeta e o “rio do Rio”, todos tem essa linha de pensamento. O desafio, para Silvana, foi encontrar causas que além de produzirem efeito de conscientização, tenham assuntos que unifiquem todas as disciplinas curriculares.

E o que tem haver o rio com uma causa interdisciplinar? Silvana explica que “todas as disciplinas a partir da causa: ela envolve História, Geografia, Ciências da Natureza, Língua Portuguesa (pois o aluno precisa escrever sobre o rio); além disso, fazemos modelos matemáticos para avaliar o índice de poluição, a cubagem de resíduos sólidos etc.”

Com isso, o Rio será a primeira cidade a promover a recuperação de seus rios a partir da iniciativa de suas crianças e jovens. “Por meio da parceria entre o Planetapontocom, a Secretaria Municipal de Educação e o Instituto Pereira Passos, vamos criar uma plataforma, com todas as escolas da rede e todas as informações de constituição da escola, sob uma camada contendo todos os rios do município.”

Movimentos como “rio do Rio” acreditam que o engajamento da criança e do jovem em uma causa transformadora ajuda a estimular a participação na aventura do conhecimento, ressalta Silvana.

Por fim, Gontijo esclarece que a midiaeducação não é um monte de tecnologia que se aplica na escola; trata-se de entender o indivíduo como uma grande mídia, que ouve e se expressa. Construir diálogos colaborativamente é uma competência do século XXI que precisa ser desenvolvida.

“Restaurante da leitura” é sensação em escola no Maceió

Você já ouviu falar no “restaurante da leitura”? Não? Pois ele existe e fica dentro de uma escola na comunidade Ponta Verde, em Maceió, capital alagoana. De uma forma lúdica, os alunos podem devorar livros como se estivessem saboreando um cardápio de comidas muito especiais. A idealizadora do projeto foi a professora Giselma Torres.

A iniciativa é um sucesso entre as crianças. São cinco “pratos” preparados com os seguintes ingredientes: silêncio, concentração, leitura, encantamento e imaginação. O objetivo da professora é fazer com que a garotada deixe a tecnologia um pouco de lado e desfrutem de um bom livro.

Para complementar o ambiente mágico, montado na sala de aula, os alunos do 2º ano do ensino fundamental, se dividiram entre garçons e clientes, distribuindo livros como “degustação” e “aperitivos”.

Foto: Michelle Farias/G1

Evento debate políticas públicas para educação

O evento Alfabetização 360 na perspectiva da educação integral acontecerá no próximo dia 10 de junho, a partir das 8h30, na Casa Natura Musical, em São Paulo. Promovido pelo Instituto Ayrton Senna, o encontro discutirá as causas do analfabetismo e vai debater políticas públicas e os caminhos possíveis para que crianças e jovens do Brasil tenham a oportunidade de desenvolver todos seus potenciais, transformando suas vidas e a realidade brasileira.

As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas.

Para quem não conseguir a inscrição, é possível acompanhar à distância através do streaming provido pelo Canal Futura, parceiro da ação.

Conversamos com João Alegria, Gerente Geral do Canal Futura, a respeito da divulgação. Confira.

revistapontocom: Como será a divulgação do Canal Futura no evento?
João Alegria: Vamos voltar a convidar as organizações que se mobilizaram pelo Dia da Educação e trabalhar em conjunto, ativando as redes sociais, sites e outros recursos de comunicação de todos os parceiros engajados. O Futura vai novamente criar faixa de programação temática e ação especial do jornalismo, para produzir conteúdos especiais sobre alfabetização.

revistapontocom: Quais são as expectativas?
João Alegria: O alfabetismo é um desafio educacional brasileiro, pois muitas crianças não têm se alfabetizado na idade certa e uma parcela significativa chega ao final dos 12 anos da Educação Básica em níveis de alfabetização aquém do que seria desejado. Mas também se percebe que há uma baixa fluência alfabética em toda a sociedade, um desafio muito importante a enfrentar. Deste modo é mais uma causa a ser defendida frente a toda a sociedade. Tornar a alfabetização uma pauta relevante na mídia. Chegar até às famílias e criar uma onda a favor da alfabetização.

revistapontocom: Qual a importância de manter eventos como este em evidência?
João Alegria: É importante que pautas e desafios da educação no país sempre estejam frente às pessoas. Mais bem informados e conscientes, todos vão poder contribuir melhor com a educação, pois esta é uma tarefa de toda a sociedade.

A Fundação Roberto Marinho, através do canal Futura, também destacou a questão da educação no Brasil durante todo o mês de abril. A campanha #Nem1PraTrás teve mobilização nacional em prol da educação, culminandocom um dia de debates em torno do tema, em 28 de abril, quando é comemorado o Dia Mundial da Educação. O foco da campanha foi a juventude em situação de vulnerabilidade social e educacional.

revistapontocom: Os objetivos propostos com a mobilização #Nem1PraTras foram atingidos?
João Alegria: Estamos muito contentes com os resultados. Ao final, 92 organizações se engajaram, atingimos uma taxa de engajamento de 7,1% no Facebook e ficamos 4 horas seguidas no trendingtopics Brasil no dia 28 de abril com a campanha. Cento e 30 canais de televisão no Brasil exibiram a campanha e foram feitas mais de 200 matérias jornalísticas em 80 diferentes veículos de comunicação. Os vídeos informativos sobre os desafios educacionais foram acessados mais de 1 milhão de vezes. Portanto, entendemos que o objetivo de divulgar as questões da educação brasileira para a sociedade, maior objetivo da iniciativa, foi alcançado.

revistapontocom: No dia 28 de abril o Canal Futura dedicou 24 horas da programação voltada para o tema. Como foi essa experiência?
João Alegria: Muito exitosa. Nesse dia, principalmente no período da tarde, o Canal Futura, teve muito acolhimento da audiência. As programações temáticas devem voltar com força à tela do canal.

revistapontocom: Foi adotado um conjunto de hashtags para unificar a comunicação em rede por todas as telas… Para você, qual a importância dessa unificação? A experiência foi boa?
João Alegria: Sim. Adotamos coletivamente hashtags. A intenção era a de avolumar e unificar as ações dos parceiros. Isso funcionou. A principal foi #diaDaEducacao, sempre utilizada por todos os parceiros. Em seguida a #Nem1PraTras, apresentando claramente o propósito de toda essa movimentação. Mas, os parceiros poderiam variar, acrescentando à essas duas hashtags outras, que indicassem suas próprias causas, como#Nem1SemProfessor. No balanço, todos perceberam que atuar coletivamente utilizando as mesmas hashtags deu força ao movimento, mas também garantiu mais visibilidade aos perfis de cada parceiro na web.

revistapontocom:Qual o legado que essa intensa jornada deixará?
João Alegria: Acreditamos que o maior legado é a possibilidade de trabalho coletivo ao redor de causas no campo da educação. Temos a intenção de seguir juntos, atuando numa agenda anual em comum. Com várias jornadas como essa.

Alunos do Recife criam ‘ecobarreira’ para filtrar lixo em canal

Cerca de 30 alunos da Escola Municipal Professor Antônio de Brito Alves, na Mustardinha, Zona Oeste do Recife, criaram uma “ecobarreira” feita com garrafas pet para reter o lixo do canal do ABC, em frente à escola, colocando em prática todo o aprendizado teórico sobre a preservação do meio ambiente.

Os estudantes usaram garrafas pet unidas por um cabo formando uma rede capaz de reduzir a quantidade de resíduos sólidos no canal. A ideia do protótipo sustentável veio a partir da realidade do bairro. Com a orientação de quatro professores, eles começaram a realizar pesquisas em 2015, na própria comunidade, junto aos moradores.

Para que a “ecobarreira” fosse implantada, os alunos contaram com ajuda da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb). O projeto vai contar com o apoio da prefeitura.

Desenvolvido desde 2015, vale ressaltar que, a iniciativa conquistou o primeiro lugar na Feira de Conhecimentos do Recife em 2018 e foi credenciado para uma feira de ciência e tecnologia no Paraguai, no segundo semestre de 2019.

Vitória para o meio ambiente, vitória para estudantes e para a cidade

O valor dos rios deveria ser mais bem explorado em sala de aula. Os rios sofrem com o despejo indiscriminado de dejetos e o abandono do poder público. Por outro lado, tem a sociedade que não contribui significativamente com a preservação e conservação dos corpos hídricos.

Em 2014, nasceu o movimento Carioca, o rio do Rio como solução a uma inquietação da equipe do planetapontocom: educar com e através de causas. O projeto, que virou lei, neste ano, visa ensinar aos alunos de 1º e 2º da Rede Municipal a importância ecológica e estratégica dos rios cariocas dentro do contexto socioambiental.

O valor desse movimento está na ideia de que, ao se envolver em uma causa, ao tomar consciência dos problemas sociais, ao se responsabilizar em cuidar do meio ambiente e da qualidade de vida de todos, as crianças e os jovens tornam-se protagonistas: de seu processo de aprendizagem; da transformação social na qual se engajam; desenvolvem competências sócio emocionais; aprendem conteúdos curriculares de maneira significativa e verdadeira exercendo a cidadania, aos 5, 6, 7, 8… 18 anos de idade.

Alunos e professores das 27 escolas situadas na bacia do Rio Carioca foram motivados a aprender e ensinar através de “aulas vivas” e de uma causa: salvar o rio Carioca. Para isso foram conhecê-lo. Clique aqui e confira o que diz respeito à Lei Nº 6.535, de 22 de abril de 2019.

Na semana do meio ambiente temos muito a celebrar, o Rio de Janeiro será a primeira capital brasileira a recuperar e preservar seus rios através das escolas. Ganha a educação e ganha o meio ambiente.

Maior livraria flutuante do mundo vai atracar em cidades do país

Em agosto deste ano chega ao Brasil o navio Logos Hope com mais de cinco mil livros a bordo. A maior livraria flutuante do mundo tem por objetivo levar conhecimento, ajuda e esperança a cada local que visita.

Com o trabalho de 400 voluntários de 65 nações, o Logos Hope abre suas portas para a venda de livros a baixo custo, faz doações literárias a várias entidades, como escolas e abrigos. Além disso, costumam acontecer a bordo da embarcação, atividades artísticas, como teatro e concertos.

E não para por aí… Os voluntários também deixam a embarcação para participar de projetos sociais nas cidades visitadas. Já ajudaram, por exemplo, a construir escolas, hospitais e centros esportivos. Oferecem assistência médica e doações diversas, que vão de filtros de água a lentes para idosos.

A previsão é que o navio chegue ao país no dia 23 de agosto, quando atraca em Santos. De lá segue para o Rio de Janeiro, atracando no dia 18 de setembro, onde permanece na cidade até o dia 08 de outubro, e então segue para Vitória (09/10 a 22/10), Salvador (24/10 a 12/11) e Belém (18/11 a 06/12).

O Logos Hope pertence à GBA Ships, organização sem fins lucrativos registrada na Alemanha.