(21) 2220-3300
New here? Register. ×

MMA: luta esportiva ou barbárie?

16 comentários
14jan

Por Antônio Manoel Lima de Holanda
Professor do Ginásio Experimental Olímpico – Escola Municipal Juan Antônio Samaranch
Rede Municipal do Rio de Janeiro
Mestrando em Educação (UFRJ)

Falar que o MMA é um esporte violento esbarra em equívocos de interpretação, relacionados a preconceitos contra as lutas esportivas. Na verdade, o boxe, o muay thay, o karate, o jiu jitsu, e muitas outras lutas esportivas, já foram confrontadas por essas insinuações e tiveram que provar o seu valor na formação global do indivíduo. Não está sendo diferente com o MMA, que passa por um processo evolutivo, onde fundamenta sua filosofia em princípios modernos de ética e cidadania (muitas tiradas das artes milenares que lhe dão origem) e estabelece regras, aparatos médicos, equipamentos de proteção e treinamentos científicos que cada vez mais validam sua configuração definitiva como luta esportiva.

O problema é que tem muita gente falando sobre um assunto que não é de sua alçada. Quem define o que é esporte? Quem define o que é violento? Quem compara lutadores de MMA com os gladiadores do Coliseu? A verdade é a seguinte: lutadores de MMA são atletas pagos – alguns muito bem pagos – após rigorosos treinamentos atléticos e de ética, exercidos de forma espontânea, bem diferentes dos escravos de Roma antiga.

A luta esportiva está relacionada ao desenvolvimento máximo de um atleta para uma situação real de luta. Homens de diversas civilizações, ao longo do tempo, desenvolveram lutas milenares e culturais, como o jiu jitsu, muay thay, judô, karate, boxe, luta livre, savate e muitas outras. Para os amantes da luta esportiva, essas lutas não são violentas e, muito pelo contrário, auxiliam na formação moral e física de seus praticantes. É fato: grandes faixas pretas das artes marciais são grandes exemplos de cidadania e ética em seus contextos sociais. Campeonatos destas artes marciais estão longe de ser palco de barbárie. Na verdade, são locais de superação humana, de respeito às regras, de estética agonista (a arte do confronto), de pesquisa nas áreas de treinamento, fisiologia, condicionamento físico e gerência e administração esportiva.

Um dos grandes clamores da modernidade é o respeito à diversidade e ao multiculturalismo. Não se pode exigir de uma borboleta que compreenda o comportamento do tigre. Mas ambos podem viver em harmonia se buscarem o respeito mútuo.

O MMA é o esporte que atingiu o último nível de excelência no agonismo corporal por se valer da luta de chão, da luta em pé e de suas transições. Atingiu o mais elevado patamar do confronto autorizado. Falo de confronto autorizado, pois ao contrário do que afirmam os “menestréis do apocalipse”, MMA não é violência e pancadaria. É luta esportiva no seu mais avançado grau de perfeição, pois, conforme disse anteriormente, exige de seus praticantes, a totalidade de preparação para um confronto real.

Por que se trata de uma luta esportiva e não de uma barbárie? Porque possui regras internacionais. É realizada com equipamentos de proteção atlética, assistência médica de plantão. Possuem rigorosas leis em suas práticas mundiais. Os praticantes são atletas de altíssimo nível. São profissionais remunerados. Praticam o esporte por sua livre e espontânea vontade e há um código de moral e conduta, muito bem formulado, estabelecido pela Comissão Atlética de Nevada, que estipula o comportamento ético e cidadão do esportista de MMA.

Pode-se dizer que o MMA atingiu seu ápice como luta esportiva? Não. Ao longo do tempo, todas as lutas esportivas passam por uma grande evolução em suas regras, fundamentos e filosofia. Com o MMA não é diferente. As primeiras lutas eram chamadas de vale tudo e era quase isso mesmo. Hoje me dia, a realidade é outra. Ninguém é obrigado a gostar de MMA, mas, por favor, deixem que os fãs e os adeptos usufruam deste esporte.

Para terminar: violência significa ação de causar danos físicos ou psicológicos a uma pessoa, sem sua autorização. No confronto autorizado, ambas as partes estão cientes do que se pode e não pode fazer. Há regras! O MMA é uma realidade. É a mais completa arte marcial da contemporaneidade. E vem deixando bem claro, por meio de seus principais atletas brasileiros, que é um portal para jovens de comunidades vulneráveis criarem um projeto saudável, promissor e ético de vida. Em tempo: nossos atletas de MMA são os melhores do mundo. Exemplos notórios em todo planeta de superação, humildade e cordialidade.

16 thoughts on “MMA: luta esportiva ou barbárie?

  1. Os que são CONTRA essa atividade esportiva (MMA – “Mixed Martial Arts”), dizem:
    1) O Espírito Santo de Deus não precisa de ajuda/ações humanas “inovadoras” para que o evangelismo aconteça, principalmente ações mundanas para dentro da igreja.
    2) A Bíblia declara que Deus odeia a violência! Salmo 11:5: “o Senhor põe à prova ao justo e ao ímpio; mas, ao que ama a violência, a sua alma o abomina”.
    3) O Apóstolo Paulo escreveu: “quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10:31). E no que esse esporte glorifica a Deus?
    4) 1 Timóteo 4:8 diz que “o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade (‘exercício espiritual’) para tudo é proveitosa”.
    5) “…não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus” (1 Coríntios 6:19-20).
    6) “Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque sagrado é o santuário de Deus, que sois vós” (1 Coríntios 3:16-17).
    7) Jesus é manso e humilde (Mateus 11:29).
    9) Tanto quem pratica quanto quem assiste receberão o mesmo castigo de Deus: “…os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem” (Romanos 1:32).
    8) Para os cristãos reformados, o Catecismo Maior de Westminster, na pergunta 136, diz que os “espancamentos e ferimentos” são pecados diante de Deus.

    Os que são A FAVOR dessa atividade esportiva, dizem:
    1) Um lutador profissional é uma PROFISSÃO e “digno é o trabalhador de seu salário” (1 Timóteo 5:18). Uma profissão consensual e remunerada! O MMA tem regras, punições, contrato assinado, cachê, dono, empregador, chefe, patrocinador, equipe médica etc. como uma empresa qualquer.
    2) Se você procurar a definição de “violência” no Dicionário Aulete, vai encontrar: “emprego abusivo, geralmente ilegítimo, da força ou da coação com o fim de se obter algo”. No MMA, os lutadores estão ali por que querem e obedecem a regras pré-definidas. Então, não há violência gratuita.
    3) Comparar os extintos gladiadores romanos com os lutadores de MMA é um terrível engano (Milton Neves foi o primeiro a dizer isso!). Gladiadores, em sua maioria esmagadora, eram escravos e não tinham escolha, senão lutar até morrer. Lutadores profissionais são livres para escolherem esse caminho e serem (bem) remunerados por isso.
    4) Romanos 14:22 diz: “assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova”.
    5) A Bíblia Sagrada não dá nenhum mandamento específico sobre desportos violentos. Pelo contrário, o Apóstolo Paulo toma o atletismo como exemplo, dentre vários outros, ao falar do nosso trabalho para o Senhor: “não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis” (1 Coríntios 9:24). Se o esporte, em si, fosse pecaminoso, Paulo jamais o tomaria como analogia da carreira cristã.

    Para pensar:
    1) “Nem tudo o que é lícito convém ao cristão” (1 Coríntios 6:12).
    2) O Apóstolo Paulo disse: “deixemos de lado o que constrange os irmãos de pequena fé” (Romanos 14).
    3) Como “seguir a Cristo é negar-se a si mesmo”, decida se quer abrir mão da sua própria vontade, a vontade da carne, ou fazê-la (Mateus 16:24).

  2. ótimo texto,,,,alguém tem coragem de dizer que mma ou ufc é de DEUS,,,,é uma blasfêmia enorme….cristão que pratica esse tipo de entretenimento, me desculpe, mas deve ta sendo enganado pelo diabo!!!!! sem querer brincar com isso, to falando sério, tem que procurar mais o que JESUS veio pregar,, a PAZ…

  3. Para os ignorantes:
    Futebol assim como formula 1 ou Voleibol acidentalmente podem ter violência. Mas NÃO intencional. Já o MMA é pura violência programada, executada e chancelada. Bater um no outro nunca foi esporte de pessoas inteligentes, mas sim de quem não tem nada a machucar dentro da cabeça.
    Nunca foi e nunca será esporte, pois esporte é saudável e se compete sem violência fisica uns contra os outros. Disputa por uma bola está longe de ser disputa contra a integridade fisica. Nas lutas marciais antigas e tradicionais como o Karatê, Judô e outras, pratica-se o ataque e defesa em solo sem desferir socos e pancadas diretamente no adversário.
    O vencedor do MMA é aquele que consegue TIRAR a integridade fisica do oponente, tanto que somente assim sai vencedor. Então…se o lutador está sem forças, sangrando e desequilibrado, foi VITIMADO, por golpes certo ?
    Então…isto é saudável? ???
    Não me venham com balela, pois NÓS, pessoas evoluidas nunca aceitaremos suas justificativas.
    Vão se degladiar a vontade e mostrem suas lindas orelhas deformadas que mostram que dentro daquela cabeça tem a mesma coisa que há dentro daquela barriga…

  4. “Marcos Silva” falou muito bem. Não acredito que a essência da palavra esporte seja isso “MMA”. Não existem proteções e que regras são essas ? Pode-se jogar o cara de cabeça no chão e este quebrar a(o) … que isso!!! O adversário está caído sem condições de defesa e o outro chega socando a cabeça com toda força afundando nariz e quebrando ossos … não consigo digerir. Já pratiquei Karate shotokan e depois Shorin Ryu, a partir dos 11 anos, com treinamento pesado dos 17 aos 21 anos. Parei depois de um incidente em que quis demonstrar/provar minha técnica e força em um campeão; foi num simples treino. O cara levou um nocaute no ar e eu não o segurei na queda e ele bateu com a cabeça no chão. Quando este cara saiu do coma depois de longos dias de espera jurei nunca mais lutar para provar que eu era melhor ou que era muito bom. Parei por vários anos literalmente. Depois voltei a praticar somente como ginástica para melhorar minha flexibilidade e meus reflexos. Hoje estou com idade para passar o pouco que sei à crianças e os mais jovens, principalmente o que é esporte. Você não deve sair machucado em qualquer competição, numa luta como Karatê, existem técnicas que mostram que se você completasse o golpe com toda força e penetração, juízes conseguiriam ver o que ocorreria se o fizesse. Bom, essa é minha opinião de acordo com minha experiência de vida, cada mente tem sua interpretação e ponto de vista de acordo com a vida que teve. É isso. Não concordo com o autor do texto Sr. Marcus Tadeu. Osss …

  5. MMA, UFC, BOXE e todo tipo de “luta” que tira sangue do adversário ou que seja agressão não é um esporte e sim um entretenimento, uma exibição de violência que de longe pode ser chamado de “saudável”. É algo que só tende a nos retroceder no tempo, num mundo tão violento, esse tipo de “entretenimento” só deixa as crianças com mais vontade de “fazer lutinha” no colégio e nos grupos de amigos. Contrariar esse pensamento é ser ignorante e hipócrita, pois é um fato! O boxe olímpico passou por diversas analises até chegarem a conclusão que seria preciso os lutadores se equiparem com diversas proteções, mesmo assim é um “esporte” olímpico agressivo. Esporte é saúde, é confrontar os adversários com a mesma capacidade e recurso disponível. A palavra esporte deveria ser melhor analisada antes de achar que tirar sangue do adversário podendo levar a morte a qualquer momento através de pancadas e socos na cabeça, isso de longe pode ser chamado de esporte! É muita ignorância, malandragem misturada com dinheiro e oportunismo no mundo. Cada vez mais vamos pro fundo do poço e a diferença do coliseu pra um octógono é zero! Pois as pessoas assistem a pessoas se matarem lá dentro. Se fosse normal, não existiria tanta discussão a respeito, aceitam que dói menos. #paz

  6. Uma vergonha dizer que isso é esporte,agressão pura,DEUS não se agrada com essa pratica e isso já basta como argumento.
    Incentiva as crianças a agressão,assim com Neymar,Messi,Cristiano Ronaldo incentiva no futebol,ai sim um esporte salvável.
    Se tem medico de plantão então tem alguma coisa errada,serio risco de se machucar ou uma consequência maior.
    LAMENTÁVEL essa pratica,um verdadeiro lixo esse MMA.

    1. Carlos você citou que o futebol seria um esporte saudável mas na realidade algum tempo atrás foi feita uma pesquisa que diz que a mais chance de uma pessoa se machucar em uma partida de futebol que em uma luta de mma dentro de qualquer luta existe o respeito entre os adversários. Obrigada

    2. Primeiramente tem atletas de MMA que são mais cristãos que muita gente que tem outras profissões.
      O atleta de MMA e treinado para isso, em todo esporte tem seu risco, inclusive no futebol que você citou, quantas pessoas já morreram.
      Me sinto envergonhado em morar em um país que as pessoas são leigas e tentam dar opniões de coisas que não entendem, não acha feio?
      Sou professor de jiu-jitsu e atleta de MMA, tenho projetos sociais, ajudo crianças, adolescentes e adultos na sua formação social.
      Você sabe o que é violência antes de tocar nesse assunto?
      Já parou pra pensar que o futebol e violento? onde atletas não dão exemplo , xingam, brigam, se cospe tudo em rede nacional, totalmente transmitido para todo brasil, torcidas incitam a violência e se batem e matam , isso e violência.
      Treinamos duro todos os dias, para chegarmos preparados para uma luta, acho que deveria pesquisar mais , antes de dar opniões, porque muitas pessoas dependem desse esporte, e destarte, na formação de pessoas.

      NÃO FALE QUE DEUS NÃO SE AGRADA, PELO CONTRÁRIO TEM HOMEM DE DEUS QUE E INSTRUMENTO NA LUTA PARA GANHAR ALMAS.

  7. Mandou muito bem! Livre arbítrio e fazer o que se ama é esporte. Pode não ser do agrado de uns, mas o MMA está dentro desses sentimentos.

  8. Parabéns pelo belíssimo texto, as pessoas têm que passar a entender que os Artistas Marciais assim como outros “Artistas” ou Esportistas estão fazendo o que gosta, onde têm uma dura rotina para chegar ao nível máximo de sua força física e mental, o MMA está chegando com um profissionalismo que não conseguimos ver em outros esportes como por exemplo o futebol, onde grande Ídolos não respeitam o limite da profissão e abusam do corpo e concentração não rendendo o que se espera do mesmo, que com esse texto as pessoas entendam de uma vez que o MMA vai se consolidar como um dos maiores esportes do mundo por todo o conjunto da obra(Regras, seriedade do eventos e comissões atléticas). Viva ao MMA!!!

  9. O MMA é uma arte marcial, que é a organização de técnicas num sistema coerente de combate e desenvolvimento físico, mental e espiritual assim como a prática de exercícios físicos. O praticante de arte marcial, tem uma forma de viver a vida com maior qualidade é sendo resiliênte. Ou seja, se tornar resistente, forte, confiante, perante as dificuldades que se encontra por aí. A arte marcial faz com que você perca o medo e ultrapasse seus limites, e principalmente faz com que se enfrente as dificuldades com a cabeça erguida, e assim adquirindo a resiliência!

    “O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte”, já dizia Friedrich Nietzsche.

Deixe uma resposta para Isadora stingelin Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.