(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Cinema: edital do BNDES

seja o primeiro a comentar
31maio

Estão abertas até o dia 27 de junho as inscrições para Edital de Cinema 2016 do BNDES com orçamento de R$ 15 milhões em recursos não reembolsáveis. E tem novidade este ano para animadores, uma nova categoria criada para curtas de animação. No total, o segmento de animação será contemplado com sete obras selecionadas: dois longas-metragens e cinco curtas.

Além das criações em animação, o edital do BNDES ainda vai selecionar 15 longas-metragens de ficção, documentário, coprodução com América Latina e em fase de finalização. Cada longa de ficção terá apoio de R$ 1 milhão. Eles serão divididos em dois grupos: o grupo I (dois fimes), de obras que priorizem o retorno comercial, e o grupo II (até cinco fimes), de obras que priorizem a busca de reconhecimento artístico e técnico no mercado internacional. Pelo menos um dos filmes do grupo II será de diretor estreante. O edital ainda inclui até cinco projetos de documentário, um de coprodução com países latino-americanos e dois filmes em fase de finalização. Todos com apoio de R$ 500 mil cada.

Animação

A criação da nova categoria de curta de animação é um estímulo a experimentações de formatos, equipes e técnicas novas, oportunidade para novos profissionais e projetos estreantes. Cada curta-metragem de animação, dos cinco selecionados, será contemplado com R$ 200 mil. Cada longa-metragem, das duas obras de animação previstas no edital, terá apoio de R$ 1,5 milhão.

O BNDES já apoia desde 2005 obras de animação no Brasil, com financiamento do programa BNDES Procult a séries infantis brasileiras como Peixonauta e Show da Luna, da TV Pinguim, e Amigãozão, da 2DLab em coprodução com o Canadá. Desde 2013 o Edital passou a incluir longas de animação e agora na edição de 2016 estende o benefício aos curtas. O segmento de animação é visto como forte polo de desenvolvimento de marcas para registro de propriedade intelectual, geração de direitos autorais e exportação entre empresas de economia criativa.

Para maiores informações, acesse o site do BNDES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *