(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Dicas de consumo consciente para preservar o ambiente

seja o primeiro a comentar
Publicado em Destaques, Meio Ambiente
05jun

Para celebrar o Dia Mundial de Meio Ambiente, o Instituto Akatu, uma das principais ONGs do país dedicada à sensibilização e à mobilização para o consumo consciente, convida as pessoas a resgatarem a essência do cuidado. A organização dá dicas de consumo consciente para as pessoas protegerem as riquezas naturais do país.

Qualquer decisão relacionada ao consumo tem mais a ver com a preservação dos biomas brasileiros e do meio ambiente do que se possa imaginar, afinal, a produção de um único item exige recursos, como água, energia e matérias-primas, e emite gases poluentes. Dessa forma, ao mudar seus hábitos tradicionais — na compra, no uso e no descarte de produtos e serviços —, os consumidores contribuem para a proteção ambiental.

E já que não existe vida sem consumo e todo consumo gera impactos, o ideal é adotar práticas e hábitos mais sustentáveis. Quer saber como? Confira:

De onde vem e como é feito
Procure conhecer a origem e a cadeia produtiva dos itens que pretende consumir para escolher opções mais sustentáveis, cujo processo produtivo utiliza menos recursos naturais e gera menos impactos socioambientais. Verifique principalmente a procedência de: alimentos, produtos que têm madeira como matéria-prima (papel, móveis, palitos, cabos de vassoura), óleos essenciais (cosméticos, fármacos e produtos de limpeza), itens feitos de látex e borracha (calçados, acessórios, brinquedos) e objetos que levam sementes, frutos, cipós e fibras.

Com certificação é sempre melhor
Privilegie produtos que sejam reconhecidos por selos: há alimentos com certificação de que seguem padrões de bem-estar animal (selo Certified Humane); certificações em pescados garantem que sua origem não é da pesca predatória (selos MSC e ASC); alimentos orgânicos, aqueles cuja produção é livre de agrotóxicos, também podem ter certificações (selos produto orgânico do Brasil e IBD); a carne vermelha certificada quer dizer que sua produção não está vinculada ao desmatamento de novas áreas (busque por certificações como a Rainforest Alliance); e produtos feitos de madeira certificada indicam que sua fonte é legal e sustentável (selo FSC ou certificações de manejo florestal, de cadeia de custódia ou de madeira controlada).

Menos carne bovina
Não consumir ou diminuir o consumo de carne bovina contribui para a preservação do meio ambiente, uma vez que o desmatamento para a abertura de novas terras para a pecuária é uma das principais ameaças aos biomas brasileiros.

Menos papel
O uso do papel pode ser limitado ao estritamente necessário. Ainda que a maior parte da produção venha de florestas plantadas e não nativas, economizar papel é evitar o gasto de recursos naturais como água e energia em seu processo produtivo e poupar a emissão de gases de efeito estufa.

Apoie e defenda os povos tradicionais
Eles são os verdadeiros guardiões dos nossos biomas. Faça doações para instituições de confiança que direcionam seus esforços para garantir os direitos de povos e comunidades tradicionais, tais como indígenas, quilombolas, ribeirinhos e extrativistas, entre outros. Algumas sugestões: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), Instituto Socioambiental (ISA), Quilombos do Ribeira e Núcleo de Apoio à População Ribeirinha da Amazônia (NAPRA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *