(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Escola municipal carioca integra educação ambiental ao currículo e à BNCC

seja o primeiro a comentar
30set

Flavia Perez.
Foto Capa: Google Maps

Situada no bairro de Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, a Escola Municipal Doutor Sócrates passou a integrar neste ano projetos que se conectam por meio da interdisciplinaridade, metodologia que utiliza a interação entre diferentes áreas como pilar para construção do conhecimento.  

Recentemente implantado na escola, o projeto Esse Rio é Meu, resultado de uma parceria entre a equipe da OSCIP Planetapontocom com a Secretaria Municipal de Educação (SME), tem como objetivo despertar a curiosidade dos estudantes pelos rios que atravessam as regiões produzindo, a partir daí, uma transformação cultural nos indivíduos e nas comunidades. Na prática, a iniciativa integra educação ambiental ao currículo e à BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Segundo Michelli Fujimoto, professora de história e geografia, a adesão da escola ao projeto Esse Rio é Meu representa um cenário muito positivo em relação ao processo de aprendizagem através da interdisciplinaridade.

“O apoio das diversas ciências, baseadas na BNCC, gera uma maior compreensão da temática estudada, uma vez que um mesmo assunto é abordado por amplas perspectivas. Ter uma visão ampla do assunto torna o processo de aprendizagem mais desafiador, capaz de deixar os alunos mais críticos e reflexivos. A construção desse sistema integrado e colaborativo entre as disciplinares  escolares vai além das suas fronteiras”, aponta.

Professores, coordenadores pedagógicos e diretores de, inicialmente, 23 escolas da rede municipal do Rio de Janeiro começaram a receber, em maio, formação on-line para implantação da etapa inicial do projeto, entre eles a Escola Municipal Doutor Sócrates.

A partir daí, professores e gestores da escola deram início à etapa de diagnóstico do projeto envolvendo os alunos com conteúdo e atividades sobre o rio mais próximo à escola: o Piraquê, que nasce na Serra do Lameirão, no Parque Estadual da Pedra Branca (PEPB) e percorre cerca de 23 km até desaguar na Baía de Sepetiba. Ao atravessar o território de Guaratiba é chamado de Rio Piraquê, nome cuja origem vem do dialeto Tupinambá e significa “onde entra o peixe”.

Para Luís Gustavo Rangel, diretor da Escola Municipal Doutor Sócrates, “a escola que não levar a discussão sobre meios de sustentabilidade, preservação do meio ambiente e, junto com isso, inserir esses temas no seu projeto político-pedagógico (PPP) estará perdendo a oportunidade de formar cidadãos mais conscientes do seu papel na sociedade”, destaca.

O conhecimento proposto vai além de ensinar onde o rio nasce, seu caminho e em que lugar deságua, uma vez que a história de cada rio está diretamente relacionada à construção e ao crescimento de cada região por onde percorre. O programa buscará dentro de sua metodologia motivar os estudantes para o aprendizado, estimulando o sentimento de pertencimento e a importância do trabalho em equipe.

“O projeto Esse Rio é Meu é a versão carioca do nosso programa Cidades, Salvem seus Rios, concebido a partir da metodologia inovadora Educação com e através de Causas, que ultrapassa o conceito de educação ambiental, uma vez que incorpora a causa de recuperação e preservação dos rios ao currículo e à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O trabalho é feito de forma trans e interdisciplinar nas escolas municipais”, revela Silvana Gontijo, idealizadora do programa e presidente do Planetapontocom, organização que tem como missão desenvolver soluções inovadoras para a educação pública brasileira. 

O programa Cidades, Salvem seus Rios foi sistematizado a partir da experiência da organização Planetapontocom com o movimento Carioca, o rio do Rio (http://revistapontocom.org.br/destaques/recuperacao-do-rio-carioca-inspira-criacao-do-programa-cidades-salvem-seus-rios), que possibilitou a restauração da parte visível do Rio Carioca e, consequentemente, em 2019, o seu tombamento pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), o primeiro curso d’água urbano tombado no Brasil.

Interdisciplinaridade
A aplicação do projeto Esse Rio é Meu na Escola Municipal Doutor Sócrates vem sendo implementada em sintonia com o Semeando, projeto focado no plantio de árvores, cultivo de horta e na gestão de resíduos em sintonia com as ações da Reserva Biológica de Guaratiba. Uma das missões da reserva é propagar o conhecimento e difundir questões ligadas à educação ambiental.

De acordo com a professora de geografia Norma Sueli Santana, a interdisciplinaridade na educação pode ser a chave importante para mudar a atual realidade do processo ensino-aprendizagem, considerando que esse tipo de abordagem permite que conteúdos ganhem mais sentido quando o aluno percebe o quanto os aprendizados estão conectados e fazem parte de um todo e de sua realidade.

“A interdisciplinaridade pode ser entendida como ‘uma integração recíproca das várias disciplinas escolares’. É a construção do saber a partir da junção de várias áreas do conhecimento, a fim de proporcionar uma associação entre as várias áreas dentro de um mesmo conteúdo ou assunto”, explica, acrescentando que o projeto Esse Rio é Meu faz esta conexão através dos conteúdos curriculares e da preservação do meio ambiente, tornando as ações a serem desenvolvidas mais contextualizadas e possíveis de serem realizadas.

A partir de uma situação-problema ou de um tema a ser trabalhado, o estudante é estimulado a explorar diversas formas de solução, através das diferentes disciplinas escolares.

Formação on-line durante a pandemia
O ciclo de formação dos professores teve como ponto de partida um encontro realizado na sede da Prefeitura do Rio, em dezembro de 2019, que oficializou o lançamento do projeto. Após a suspensão das aulas presenciais em escolas públicas e privadas de todo o Brasil, em março deste ano, devido à pandemia de Covid-19, as reuniões vêm sendo realizadas em formato de webinar.

Os objetivosdosencontros virtuais, que reúnem mais de 200 professores e gestores da rede do município do Rio, são  apresentar a estrutura metodológica do programa, elaborar  diagnóstico de contexto, planejar as ações que cada escola desenvolverá de acordo com cada turma a partir dos problemas identificados no diagnóstico do seu rio, implementar as ações escolhidas e registrar para disseminar. O Programa abrange os segmentos de Educação Infantil, Ensino Fundamental 1 e Ensino Fundamental 2.

Durante a formação, os docentes recebem informações acerca do conceito e da estrutura metodológica do programa e são preparados para aplicá-lo em sala de aula com os alunos. Em cada etapa do treinamento, professores e gestores estão sendo estimulados a usar o rio mais próximo da escola como fator de articulação entre os conteúdos curriculares e a BNCC.

Lei municipal regulamenta projeto Esse Rio é Meu
Instituída em 22/04/2019, a Lei nº 6.535 regulamentou a criação do Projeto Esse Rio é Meu no âmbito das escolas da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro. O decreto prevê a conscientização acerca do uso sustentável e da preservação dos corpos hídricos da Cidade.

Para que o projeto ganhe escala e seja implementado em toda as escolas municipais do Rio, a lei prevê que a Secretaria Municipal de Educação poderá realizar parcerias com outros órgãos da Administração Pública Municipal, Estadual e Federal e instituições da sociedade civil para o cumprimento das diretrizes contidas no projeto.

Conheça mais sobre o projeto carioca acessando a plataforma Esse Rio É Meu http://multirio.rio.rj.gov.br/esserioemeu/

Escolas participantes no Rio de Janeiro:

1 E. M. Alberto José Sampaio

2 E. M. Anita Malfatti

3 E. M. Astrojildo Pereira

4 E. M. Camilo Castelo Branco

5 E. M. Claudio Besserman Vianna

6 E. M. Cuba

7 E. M. Medalhista Olímpica Mayra Aguiar da Silva

8 Escola Municipal Ceará

9 E. M. Doutor Sócrates

10 E. M. Érico Veríssimo

11 E. M. Guararapes Cândido

12 E. M. José de Alencar

13 E. M. Laudimia Trotta

14 E. M. Pereira Passos

15 CIEP Operário Vicente Mariano

16 E. M. Silvio Romero

17 Escola Municipal Rondon

18 Escola Municipal Paulo Maranhão

19 Escola Municipal Miguel Ramalho Novo

20 Escola Municipal Prof. Afonso Henrique Saldanha

21 Escola Municipal Carlos Maul

22 Escola Municipal Gabriel Soares de Souza

23 Escola Municipal Tasso da Silveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *