(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Jogo inesquecível

1 comentário
16abr


Por 
Artur Melo, 10 anos

Estudante do 6º ano do Ensino Fundamental, da Escola Sá Pereira

Essa história é, especialmente, para o Bento.

Tudo pronto para o início da partida. Jogadores em suas posições, torcidas animadas como nunca, juiz e bandeirinhas atentos… e APITA O ÁRBITRO! A bola está em jogo, redonda e doida para ir na gaveta. Fortes emoções num jogo importantíssimo, de final de campeonato. Messi já começa trabalhando a bola com Neymar, que parte para o ataque, tabelando com Suarez. Está muito difícil passar pela zaga de Sérgio Ramos e Pepe. O jeito é  voltar a bola para Inesta, mas, Barcelona, com toda a sua classe, vai envolvendo o adversário com o toque de bola…

A bola está, novamente, com o gênio Lionel Messi, que percebe um espaço na zaga adversária e, com sua extrema velocidade e controle de bola, parte para o ataque. Rapidamente, Pepe e Marcelo tentam desarmá-lo, mas Messi dá uma linda caneta em Sérgio Ramos e limpa Marcelo. Fica de cara para o gol.

Como é especial demais para perder um lance desses, Messi realiza o desejo da bola, para o delírio da torcida catalã. Faz um verdadeiro gol de placa. Mas, no futebol nem tudo é alegria e beleza de lances e jogadas. Depois de mais um lindo gol de falta do Messi, no ângulo, alterando o placar para 2 a 0 para o Barça. O atacante Ronando, o Cr7, do Real Madrid, furioso, quer virar o jogo de qualquer jeito, mas… acaba o primeiro tempo!!!

Após os quinze minutos de descanso, a bola rola de novo… Ronaldo vem tabelando a bola com Benzema, que dá um passe majestoso para Cr7 fazer o 2 a 1 no placar, mas antes mesmo de chegar à bola, Cr 7 é puxado por Mascherano. Não houve jeito, o sangue subiu-lhe a cabeça e aproveitando a força de seu preparo físico dá um chute no zagueiro, lesionando-o gravemente.

Confusão armada! Juiz expulsa Cr7. Mascherano urra de dor e sai carregado do campo imediatamente. A torcida se desespera: o craque foi embora. Mas, no futebol, o jogo não pode parar. Nada adiantou essa irritação não contida. O placar continuou o mesmo e o Barça foi campeão.

Tudo isso aconteceu, mas com outros personagens e em outro lugar. Os jogadores eram dois, depois chegaram outros dois. Time completo: Artur, Antônio, Bento e João. Num play no bairro do Humaitá, Rio de Janeiro. Não tinha torcidas, nem juiz nem bandeirinhas, mas tinha gols perdidos, escorregão, irritação, jogo de corpo e… chateação: um jogador no chão, machucado, com braço quebrado e muita dor.

Essa história vai acabar assim sem final. A história do Barça com o Real Madrid terminou, mas a nossa ainda está começando. Vamos ver como o Bento se recupera pra gente terminar esse jogo. Aguarde!

foto 1 (1)     foto (1)foto 2

Posts relacionados

Um comentário sobre... “Jogo inesquecível

  1. É… Esta foi pro Bento, né?

    Realmente é chato se machucar no jogo, mas acontece… Com todo mundo que joga. Mas a gente vai crescendo e melhorando nisso também, aprendendo a fazer as coisas de formas melhor executadas e também a controlar a força, a controlar as emoções que nos desconcentram… Tudo é aprendido com nos esportes… Muito bom.

    Mas este texto é bem interessante realmente, porque é a primeira vez que você traz esse tema e porque descreve o movimento, uma série de movimentos precisos… mas muito movimento numa história contada por escrito… bem legal, gostei! Parabéns.

    Super abraço, mas devagar, pra não me quebrar! (risos)

Deixe uma resposta para Valéria Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.