(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Sementes do Xingu

seja o primeiro a comentar
Publicado em Destaques, Sustentabilidade
10out

A Rede de Sementes do Xingu (Mato Grosso – Cerrado e Amazônia) conquistou o primeiro lugar no Desafio Ambiental: inovação e empreendedorismo em restauração florestal, promovido pelo WWF, recebendo um incentivo de R$ 5.000. A Rede é uma articulação que produz sementes nativas para o processo de restauração ecológica nas cabeceiras do Xingu através da inclusão socioeducativa e cultural de povos indígenas e agricultores familiares. Ela busca apoio para aprimorar o plano de negócios e a preparação para crescer e disseminar a iniciativa em vários territórios, além da formação em gestão de negócios de impacto na Amazônia.

Com dez anos de existência, a Rede, ao todo, já viabilizou a recuperação de mais de 5 mil hectares de áreas degradadas, utilizando 75 toneladas de sementes nativas, coletadas e beneficiadas por 450 coletores.

“É um reconhecimento muito importante para a Rede. Reconhecimento do trabalho que faz a diferença, valoriza a floresta e gera recursos para as comunidades locais no Xingu e Araguaia. Além disso, o prêmio abre um leque de novas possibilidades, novos mercados e novas parcerias institucionais”, disse Bruna Dayanna, diretora da Associação, ao site do WWF-Brasil.

O segundo lugar ficou com a iniciativa do Instituo Auá de Empreendedorismo Socioambiental (São Paulo – Mata Atlântica) que recebeu R$ 3.000. E o projeto escolhido pelo júri popular, com 755 votos válidos, foi o Zoneamento Climático (Minas Gerais – múltiplos biomas).

A finalidade do Desafio era reconhecer organizações, grupos, comunidades e startups que estão atuando no campo da restauração, promover colaboração entre iniciativas, gerando uma onda de impacto positivo, além de apoiar e impulsionar o desenvolvimento e o impacto de projetos existentes e de inovações, ferramentas e modelos sustentáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *