(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Vamos conversar?

seja o primeiro a comentar
23out

Mães, avós e professoras. Elas acabam de lançar o site Papo de Pracinha. Trata-se  de um espaço de diálogo que se destina a pensar sobre a vida das crianças em situações cotidianas. A referência à pracinha, explicam as idealizadoras, garante o conforto necessário para conversas livres, sem as amarras acadêmicas que poderiam sugerir algum tipo de superioridade, um certo tom de verdade acabada e, talvez, um engessamento.

“As crianças que conhecemos não cabem nos lugares que previamente determinamos e escolhemos para elas, mas, ao contrário, elas excedem, tensionam e muitas vezes contrariam as nossas expectativas. Por isso estamos convidando amigos, pais e mães, avós, professores, pedagogos, psicólogos e interessados a pensar as crianças de um outro lugar, junto conosco, do banco da pracinha. Vamos?”, convida Maria Inês Delorme e Angela Meyer Borba.

O espaço já conta com duas reflexões:

O que é brinquedo? As crianças respondem!

Sobre as autoras:

Maria Inês de C. Delorme é casada, mãe de quatro filhos e, avó pela segunda vez em 2015. Professora de Educação Infantil da SME, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro e, também, do Departamento de Estudos da Infância da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pos-doutorada em Educação e Ciências da Comunicação, em 2012, Lisboa. Pesquisadora, autora de livros sobre crianças e suas Infâncias.

Angela Meyer Borba é casada, mãe de duas filhas e  avó pela primeira vez em 2015. É doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense e mestre em Educação pela PUC-Rio. Atualmente integra o corpo docente do curso de Especialização em Educação Infantil, na PUC-Rio, e atua como pesquisadora e consultora na área de Infância e Educação Infantil, em diferentes projetos. Foi professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense (1992-2013). De 1997 a 2013, integrou o grupo gestor da Creche UFF, onde desenvolveu diversos projetos e pesquisas, e ocupou a função de coordenadora pedagógica em diferentes períodos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *