Educação com e através de causa

Você sabe o que é Educação com e através de causa? Trata-se da interdisciplinaridade, tema bastante atual no ambiente escolar. Podemos defini-la como um processo de integração recíproca entre várias disciplinas e campos de conhecimento. Constitui uma associação de disciplinas, por conta de um projeto ou de um objeto que lhes sejam comuns.

“Não acreditamos na Educação em “caixinhas” separadas por disciplina, mas em uma Educação interdisciplinar – explica Silva Gontijo, presidente da OSCIP Planetapontocom – todos os componentes curriculares fazem parte de um conhecimento, não são distintos”.

E é nesse sentido que os projetos do Planetapontocom funcionam. O NAVE, a Turma do Planeta e o “rio do Rio”, todos tem essa linha de pensamento. O desafio, para Silvana, foi encontrar causas que além de produzirem efeito de conscientização, tenham assuntos que unifiquem todas as disciplinas curriculares.

E o que tem haver o rio com uma causa interdisciplinar? Silvana explica que “todas as disciplinas a partir da causa: ela envolve História, Geografia, Ciências da Natureza, Língua Portuguesa (pois o aluno precisa escrever sobre o rio); além disso, fazemos modelos matemáticos para avaliar o índice de poluição, a cubagem de resíduos sólidos etc.”

Com isso, o Rio será a primeira cidade a promover a recuperação de seus rios a partir da iniciativa de suas crianças e jovens. “Por meio da parceria entre o Planetapontocom, a Secretaria Municipal de Educação e o Instituto Pereira Passos, vamos criar uma plataforma, com todas as escolas da rede e todas as informações de constituição da escola, sob uma camada contendo todos os rios do município.”

Movimentos como “rio do Rio” acreditam que o engajamento da criança e do jovem em uma causa transformadora ajuda a estimular a participação na aventura do conhecimento, ressalta Silvana.

Por fim, Gontijo esclarece que a midiaeducação não é um monte de tecnologia que se aplica na escola; trata-se de entender o indivíduo como uma grande mídia, que ouve e se expressa. Construir diálogos colaborativamente é uma competência do século XXI que precisa ser desenvolvida.