Fala jovem

Desigualdade, violência, paz, consumo e política. Com o objetivo de dar vez e voz às crianças e jovens, a revistapontocom inaugura mais um espaço neste sentido: o Fala Jovem. Nele, vamos publicar textos escritos por crianças e jovens sobre diversos assuntos. A ideia é promover a ‘fala’ destes cidadãos e ao mesmo tempo possibilitar que os adultos conheçam e ouçam suas histórias, sentimentos, comentários, avaliações sobre temas do nosso cotidiano.

Hoje, publicamos três textos. Trata-se de uma produção textual apresentada, pelos estudantes da Escola Sá Pereira, no I Fórum Nacional de Cultura Infância, realizado nos dias 23 e 24 de setembro, no Rio. Eles foram instigados a refletirem sobre a política cultural voltada para crianças e jovens, pelo governo brasileiro.

Confira:

Quem somos, o que pensamos, o que sabemos, o que queremos
Produção coletiva dos alunos do nono do Ensino Fundamental.

Um dia, em um bairro pobre, brotou do chão um conjunto de madeira com folhas. Conforme toda aquela casca crescia, os planos dos moradores sobre o que fazer com aquele corpo também tentavam alcançar as alturas. João via plantada no chão uma cadeira, Maurício jurava que aquilo ia virar papel, mas provavelmente ia acabar tudo como carvão – como dizia Pedro. De fato, ninguém via ali o que realmente era aquela junção de madeiras e folhas: uma árvore. Assim também são a infância e a adolescência: a árvore que ninguém percebe que produz sombra e frutos. (clique aqui e leia na íntegra).

Precisamos de um guia
Produção coletiva dos alunos do nono ano do Ensino Fundamental

Eu fico com a pureza das respostas das crianças. É bonito domingo ensolarado, passar a manhã na praia e de tarde ir ao cinema, É bonito ir a uma peça. É bonito dar um abraço no pai, seguido por uma história, história de criança, inventada ou verídica, que enche a cabeça de criatividade e imaginação. É bonito sair de tarde e de noite, a beleza de ser um eterno aprendiz.Mas e a vida? Ela é maravilha ou é sofrimento? (clique aqui e leia na íntegra).

Manifesto – entre a luta e a poesia
Produção coletiva dos alunos do nono ano do Ensino Fundamental

A juventude não é algo construído por aqueles que já foram jovens um dia. Existe, sim, NÃO como simples etapa de formação do ser humano, mas como um ciclo infinito que se renova a cada geração. Cada juventude tem características próprias de seu tempo e características de outras juventudes que deixam a sua história. Mas sempre é algo completamente diferente e único. Então, deixem-nos nos construirmos. Deixem-nos construirmos a própria cultura. (clique aqui e leia na íntegra).