(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Histórias do Artur

34 comentários
07nov



Eu sou Artur Melo. Nasci no dia 13/12/2002, tenho 10 anos. Estudo na escola Sá Pereira. Acho que comecei a gostar de escrever histórias porque fico com muitas ideias na cabeça. Algumas vêm da minha cabeça mesmo. Outras me inspiro em filmes que assisto, outras tiro de livros que já li ou leram para mim. Misturo isso tudo e invento as histórias. Do King Kong, por exemplo, gosto que ele é “gigante”, forte e agitado. Do Dom Quixote, acho legal o seu jeito aventureiro e engraçado. Dos Três Mosqueteiros, acho o máximo toda aquela ação e luta de espadas. Do Pequeno Nicolau, morro de rir com as traquinagens daquela turminha. Do Harry Potter, adoro os mistérios, as aventuras e os feitiços. Dos Piratas do Caribe, eu me divirto com tanta luta e suspense. Do Chaplin, adoro a comédia, mesmo mudo, ele faz a gente rir muito. Gostaria de participar de alguns desses filmes! Agora quero convidar todo mundo para ler minhas histórias. A cada quinzena uma diferente vai ser postada aqui. Espero que gostem!

Artur Melo

Carta aberta a Papai Noel
– O segredo do General
O ladrão Bod
– Torresmo (parte 2)
– Torresmo (parte 1)

34 thoughts on “Histórias do Artur

  1. Artur:
    Achei muito interessante a sua história. Principalmente, pelo ladrão que você criou. Você fez dois Bod :um ladrão adulto e outro ladrão criança. Quando aquele assalta Banco você faz com que o imaginemos mal, ambicioso e destemido.Já quando ele resolve roubar o Parque de Diversões quem é “tomado de assalto” é o prórpio ladrão. Tal qual aquele choque paralisante, Bod entrega os pontos, porque você permitiu que ele se sentisse criança novamente. Sabe, Artur , que esse seu texto daria um excelente filme pois tem ação e emoção? Que tal pensar no assunto?
    PARABÉNS!!!!!!
    Beijos,

    Miriam Andrade, sua fã incondicional

  2. Querido, Artur!!

    Adorei sua história. A parte do “ele se sentia” foi tudo. Saudades, beijos Tia Valeria

  3. Nossa, Artur, que história linda!!! Às vezes fico me perguntando como um menino pequeno, ainda, consegue escrever histórias tão bacanas. Já li muita coisa de gente grande que não chega perto da tua inventividade, leveza e clareza de ideias. Parabéns, e que venham outras!!!
    Tania Nhary

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *