Os bichos humanos e o carnaval

Por Artur Melo, 12 anos
A
luno do 7º ano do Ensino Fundamental, da Escola Sá Pereira

Lá pelo ano 2050, havia um lugar descoberto pelos portugueses, onde se reuniam todas as espécies de animais existentes no mundo. Foi uma grande descoberta e, por isso, virou logo notícia em todas as televisões, rádios, internet e novos aparelhos tecnológicos da época.

Não demorou nada: as pessoas, admiradas, começaram a ir para lá, num instante. Fascinadas, querendo conhecer a grande maravilha, elas, às vezes, corriam e nem largavam o que estavam fazendo: eram mecânicos com suas ferramentas, professores com seus materiais de estudo, crianças com seus brinquedos, mães, com seus bebês de fraldas, chupetas, músicos com seus instrumentos, gente de circo com suas pernas de pau e etc.

Claro que, chegando lá e vendo tanta beleza, os humanos logo quiseram construir casas, prédios e tudo o que precisavam para viver. Mas, literalmente, sem exagero, não deu para eles tirarem nem o primeiro arbusto sequer. Como tudo isso aconteceu em 2050, os animais já tinham uma espécie de capacidade mental diferente, que eu não posso explicar…  Então quando eles – os bichos – viram o mal que estava para acontecer, botaram o pessoal – os humanos – para correr.

Nessa correria, os humanos esqueceram malas, ferramentas, brinquedos, instrumentos… e, imaginem só, um fotógrafo, que estava distraído, fotografando e filmando tudo o que via por lá. Quando o fotógrafo percebeu que tinha ficado para trás, resolveu se esconder e observar os animais, bem quietinho.

A bicharada começou a olhar, mexer e usar aquilo tudo que os humanos tinham deixado. Não demorou muito e eles já estavam tocando os instrumentos, brincando, e, para admiração do fotógrafo, se fantasiando de humanos!

O fotógrafo não perdeu nem um minuto, postava tudo o que via para o mundo: lá estava na TV aquela bicharada fantasiada de humanos, tocando instrumentos e dançando. Já que era carnaval, os humanos logo acharam que aquilo era uma espécie de bloco animal.

E aí? Deixo para vocês, leitores, descobrirem o que aconteceu com o fotógrafo perdido e o por que dos animais, a partir daquele dia, começarem a agir como humanos. Quem quer continuar a história, escreve aqui embaixo, nos comentários…

Bom carnaval!