(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Cine Literário

3 comentários
25abr


Por Marcus Tavares
Fotos – Ana Gomes 

A ideia de aliar literatura, cinema e escola já existe há quase dez anos, mas só agora ela parece, de fato, ganhar voo próprio. E tudo indica que a proposta veio para ficar. Pelo menos, o grupo que está à frente da empreitada já é reconhecido pela inovação, competência e responsabilidade. Trata-se do projeto Cine Literário, do Ponto Cine, primeira sala de cinema digital popular, localizada em Guadalupe, que tem a meta de difundir e democratizar o cinema, principalmente, o nacional, no dia a dia das pessoas.

O objetivo do Cine Literário é incentivar a leitura dos estudantes por meio do cinema e formar plateia por meio da literatura. Para dar conta da dobradinha, as dez escolas municipais do Rio que participam, inicialmente, do projeto já ganharam uma midioteca, com 50 livros de literatura brasileira e 50 filmes baseados nas obras literárias. O pacote ainda inclui um monitor de TV HD de 47”, um blu-ray player, catálogos sobre os títulos e DVDs do Ponto Cine, que trazem entrevistas com escritores, diretores, produtores e atores. A inauguração das midiotecas começa no dia 25 de abril e vai até 3 de maio.

Os estudantes estão ansiosos. Mas o sentimento não é de hoje. Na verdade, antes de receberem os materiais da midioteca, eles, com seus professores, participaram, no ano passado, de oficinas de catalogação de acervo, operação de equipamento, exibição e divulgação. As turmas também fizeram visitas técnicas à Biblioteca Nacional e ao Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), do Ministério da Cultura.

As dez escolas participantes foram selecionadas a partir de indicações dos patrocinadores e por uma equipe formada por um produtor, um cineasta e um sociólogo. O critério de escolha se baseou na disposição da direção da escola em estabelecer a parceria, no engajamento dos professores e no grau de interação entre eles e os estudantes.

Segundo Adailton, diretor-executivo do Ponto Cine, o projeto prevê o envolvimento de mais 26 escolas no Rio e mais duas em Recife, duas em Brasília e duas em Florianópolis. Essas últimas seis também serão indicadas e servirão como projeto piloto para futura ampliação do Cine Literário nessas praças.

Na midioteca, há de tudo um pouco, como explica Adailton: “A lista vai dos clássicos aos populares, dos densos aos mais leves, como A Hora da Estrela, de Suzana Amaral, baseado no livro homônimo de Clarice Lispector; Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho, adaptado da obra de Raduan Nassar; passando pelo adolescente Desenrola, de Rosane Svartman, baseado no livro homônimo de Juliana Lins; ao infantil Princesa Xuxa e o Mistério de Feiurinha, adaptado da obra de Pedro Bandeira, o Fantástico Mistério de Feiurinha. Primeiro selecionamos os títulos de filmes e livros a parti de alguns critérios, por exemplo: títulos regionalistas, urbanos etc. Mas depois vimos que casar filmes e livros não é fácil. São duas indústrias totalmente diferentes. Aí partimos para o que era possível”, destaca.

As sessões de exibição do filme, nas escolas, serão abertas para toda a comunidade escolar, sempre seguida de debate. Os relatórios das exibições serão postados pelos alunos no site do projeto. De acordo com Adailton, o projeto não tem o objetivo de fazer com que as leituras e as exibições dos filmes sejam utilizadas pela escola como conteúdos de trabalho ou objetos de avaliação.

“O que se pretende é incentivar à leitura e formar plateia para o cinema tendo como isca o entretenimento.  Sim, sonhamos ver um dia o audiovisual no currículo escolar. O mundo hoje é audiovisual, temos que alfabetizar e educar o olhar. E isso tem que estar na escola. Entendemos que o cinema é tão importante quanto arroz e feijão, porque cinema alimenta a alma das pessoas e fortalece a consciência de um país”, destaca.

Todo o material foi doado pelo Ponto Solidário e o Ponto Cine, que são co-realizadores do projeto, com os recursos dos patrocinadores do projeto: Fundação Vale, Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Chemtech e Statoil, por meio das leis federal (Rouanet) e municipal de incentivo à cultura (ISS).

Conheça as dez escolas participantes:

– Escola Municipal Acre
– Escola Municipal Manoel Bonfim
– Escola Municipal José Veríssimo
– Escola Municipal Maranhão
– Escola Municipal D. João VI
– Escola Municipal Thomé de Souza
– Escola Municipal Miguel Ramalho Novo
– Escola Municipal Getúlio Vargas
– Estação Conhecimento Engenhão
– Estação Conhecimento Vila Militar 

3 thoughts on “Cine Literário

  1. Sou Roteirista iniciante já tenho vários filmes curta-média e longa metragem inclusive um curta já foi rodado e filmado então gostaria de participar com contratos firmados pela a produtora como patrocínio do meu trabalho já tenho sessenta anos e já escrevi em dois jornais e sou vencedora de 08 livros lançados em São Paulo e Rio de Janeiro caso haja interesse ligue:18-3608-4558 abraços Fátima Friaça.

  2. Realmente admirável e inovador o Projeto Cine Literário, do Ponto Cine. A ideia de unir cinema, leitura e literatura é fantástica e inovadora! Levando cultura, informação e democratizando o cinema brasileiro!! Parabéns, Adailton Medeiros!!

  3. Parabéns, Marcus. Ficou muito boa a matéria e a inclusão do filme feito por alunos e professores da Escola Municipal Acre foi um sacação fantástica. Obrigado.
    Adailton Medeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *