(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Como os pais separados usam as tecnologias?

seja o primeiro a comentar
17nov

Estudo da Universidade do Missouri, nos Estados Unidos, divulgado este ano, revelou o que muitos pais divorciados já vêm constatando na prática: a tecnologia pode tornar mais fácil ou difícil a comunicação dos ex-companheiros sobre o dia a dia dos seus filhos. Os que terminaram a relação conjugal de forma amigável fazem uso positivo da mídia para compartilhar informações e acompanhar o cotidiano dos filhos. Aqueles que não se dão bem, transformam as tecnologias em ‘armas de fogo’. Nessa briga tecnológica, as crianças são as grandes vítimas.

Ao entrevistar 49 casais separados, os professores Lawrence Ganong e Marilym Coleman descobriram que aqueles que têm uma relação hostil, por meio de uma ferrenha ‘fiscalização virtual’, usam, por exemplo, todos os movimentos do ex-marido ou ex-mulher na internet e nas redes sociais para envenenar a relação dos filhos com o pai ou com a mãe.

clique aqui e saiba mais sobre o estudo

Além da ‘fiscalização’, o estudo aponta que muitas vezes os pais fingem que não recebem e-mails ou mensagens que os ex-companheiros enviam pedindo informações dos filhos ou marcando compromissos entre eles.

“Os pais que são hostis precisam deixar seus sentimentos de lado e entender que eles devem se comunicar de forma eficaz, a fim de proteger o bem estar emocional de seus filhos”, disse Ganong. Para o professor, o e-mail, por exemplo, é um grande recurso para os pais hostis que não podem falar cara a cara. “Ao escrever, pais e mães podem editar o texto, evitando conflitos. Além disso, eles têm um registro do que foi acordado.”

O pesquisador americano sugere que os pais utilizem as redes sociais e agendas virtuais para compartilharem informações sobre as atividades dos filhos, fazendo tudo de maneira clara e sem esconder nada. Nos EUA, 25,8% das crianças menores de 18 anos vivem com pais divorciados. A cada ano, um milhão de outras crianças passam a conviver com a mesma realidade. Os professores agora estão debruçados sobre outro estudo: como as crianças lidam com seus pais por meio das tecnologias digitais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.