(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Em defesa da infância

seja o primeiro a comentar
Publicado em Matérias
26jan

Quem realizar uma busca no Google da Argentina, usando termos como pornografia, porno, sexo, combinado com palavras como infância, criança, bebês ou menores terá uma surpresa. O buscador mostrará como primeiro resultado da lista uma advertência sobre “a legalidade deste conteúdo e os riscos potenciais para acessar determinados links”. Trata-se de uma medida, firmada entre o Ministério da Justiça e o Google, a fim de combater a pornografia infantil e o abuso sexual. De acordo com o Ministério da Justiça, o Google também vai exibir uma tela com as funções e detalhes de contato da Brigada Niñ@s y el Programa Nacional de Rescate y Acompañamiento a las Personas Damnificadas por el Delito de Trata (Programa Nacional de Resgate da Brigada Nin@s e Acompanhamento as pessoas vítimas do crime de tráfico), ambos do departamento de Justiça e Direitos Humanos.

O Governo Federal também pretende “desencorajar o download e o compartilhamento de tais materiais”. O Ministério da Justiça disse que o acordo com a empresa “não proíbe ou filtra o acesso aos resultados de uma pesquisa e, portanto, o direito de acesso à informação por parte dos cidadãos não é afetado.” O combate está voltado apenas para pornografia infantil e abuso sexual. Segundo as autoridades, a medida é “um verdadeiro instrumento de política criminal preventiva, uma vez que pretende desencorajar a produção, a oferta, comercialização, distribuição, publicação e divulgação de material pornográfico envolvendo menores de idade, proibido pelo artigo 128 do Código Penal”.

O Google responde por 98% das consultas feitas na Argentina. O convênio foi coordenado pelo Programa Nacional Las víctimas contra las Violencias y la Dirección Nacional de Política Criminal (Programa Nacional às Vítimas contra as Violências e da Direcção Nacional de Política Criminal).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.