(21) 2220-3300
New here? Register. ×

Publicação

seja o primeiro a comentar
08out

O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) lançou, no dia 1º de outubro, a publicação com os resultados da pesquisa TIC Educação, produzida pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), por meio de seu Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br).A amostra da pesquisa foi composta por 856 escolas públicas e privadas do Brasil, selecionadas a partir do Censo Escolar do MEC/INEP 2011. Foram entrevistados professores de português e matemática, alunos do Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio, coordenadores pedagógicos e diretores.

Acesse a publicação

A pesquisa mostrou que apesar dos avanços na infraestrutura tecnológica das escolas brasileiras, o uso pedagógico do computador e Internet em atividades com os alunos deve ser um ponto de atenção nas políticas públicas de incorporação das tecnologias de informação e comunicação (TIC) no ambiente escolar. Segundo o levantamento, a sala de aula – local que concentra a rotina dos alunos na escola – ainda não incorporou plenamente o uso das TIC.

Com relação ao perfil do professor, os dados mostram um professor cada vez mais conectado às oportunidades oferecidas pela  Internet, contando com um amplo acesso ao computador e à Internet em proporções superiores à média da população em geral. Já o acesso dos alunos às TIC vem acompanhando o crescimento verificado na população em geral. É maior a presença de computador e Internet nos domicílios dos alunos. Entre os alunos das escolas públicas, 62% possuem computador em seus domicílios. Houve crescimento dos alunos que fazem uso da Internet pelo celular (44% entre alunos do ensino público e 54% no ensino privado). E é crescente a proporção de alunos que declaram ter aprendido a usar o computador e/ou a Internet sozinhos. Pela primeira vez, desde 2010, a forma de aprendizado mais citada foi “aprendeu sozinho”.

Do ponto de vista da infraestrutura, as escolas brasileiras registraram maior incorporação de computadores portáteis – o que aponta para um caminho de uso das TIC para além das atividades de gestão escolar ou do uso vinculado aos laboratórios de informática. A quantidade de equipamentos em funcionamento, contudo, ainda se apresenta como um fator limitador deste uso.

Acesse a publicação e confira os seguintes artigos:

– Uso das TIC na educação: inclusão ou exclusão digital?
Ana Lúcia D’Império Lima

– O desafio do uso da tecnologia na prática da sala de aula
Angela Cristina Dannweann

– A integração das tecnologias as práticas escolares
Anna Christina Theodora Aun de Azevedo Nascimento

– Repensando o projeto político-pedagógico para a integração das tecnologias no contexto escolar
Dilmeire Sant’anna Ramos Vosgerau e Marilusa Rossari

– Uma abordagem sistemática para facilitar a integração efetiva das TIC a prática pedagógica
Jonghwi Park, Maria Melizza Tam, Kenneth Barrientos e Hartfried Schmid

– Que contribuições podemos buscar na experiência piloto ‘projeto UCA’ proposto pelo MEC no Brasil em 2010-2012?
Lea da Cruz Fagundes e Diuali Fagundes Jost

– Da exclusão para a inclusão digital na escola: a apropriação das TIC na perspectiva da emancipação
Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida e Maria Paulina de Assis

– TIC nas escolas de Ensino Fundamental e território: um estudo sobre a cidade de Belo Horizonte
Marisa R. T. Duarte, Carlos Andre Teixeira e Anderson Xavier de Souza.

– Avaliação educacional e testes adaptativos informatizados (TAI): desafios presentes e futuros
Ocimar Munhoz Alvarese e Wolney Candido de Melo

– Tecnologias de informação e comunicação (TIC) na América Latina e Caribe
Peter Wallet

– Escolas brasileiras e os portais do conhecimento
Regina de Assis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *